Entenda as Diferenças Entre Público Alvo e Persona

Você com certeza já deve ter ouvido falar no termo “público alvo”. É bem possível que também tenha ouvido falar no termo “persona”, que hoje tem uma visibilidade ainda maior que o primeiro.

Mas você sabe a diferença entre os dois?

Você sabe quando deve usar um e quando deve usar o outro?

Aliás, você, por acaso, sabe usar qualquer um dos dois?

Calminha, calminha. O tio vai te levar para um passeio no maravilhoso mundo das definições sobre clientes e, quando acabarmos, você terá na ponta da língua o que é um, o que é o outro e quando usar cada um deles!

Primeiro vamos esclarecer uma coisa: personas e público alvo são formas diferentes de segmentação e NÃO, uma não é melhor ou pior do que a outra. Mas, como tudo na vida, devem ser aplicadas utilizando raciocínio e estratégia para alcançar o objetivo de cada campanha e de cada canal.

Tudo sempre vai depender do seu produto, da sua campanha e dos canais que você pretende utilizar. De fato, a persona é uma segmentação muito mais aplicada, mais detalhada e minuciosa, enquanto a definição de público alvo é mais ampla e abrangente.

Quer um exemplo legal? Em How I Met Your Mother (desculpa, se eu não mencionar uma série não fico feliz. Se não assistiu, assista, é muito boa!), Barney Stinson é quem usa comunicação para público alvo em suas empreitadas amorosas, já Ted Mosby tá sempre usando comunicação para Personas, rs.

Mas vamos a um raio-x de cada uma das definições para entender melhor como fazer e onde usar:

Público Alvo

Pensa que o público alvo é igual aquele amigo encalhado que sai atirando pra tudo que é lado e acaba se dando bem pela quantidade de investidas que dá, mas não tem um critério mais elaborado de escolha. Ele define mais ou menos assim: mulher, entre 20 e 35 anos; às vezes até olha a cor do cabelo, a altura e outras características — se ela não é um zumbi ou coisa parecida —, mas não está muito preocupado com sua personalidade, com seus anseios e nada disso. Ele quer mesmo uma aproximação mais rápida e superficial. Essa é mais ou menos a mecânica da estratégia de definição de público alvo.

Quando definimos um público alvo, levamos em consideração principalmente aspectos demográficos e genéricos, que não são capazes de definir uma pessoa, mas um grupo de pessoas mais amplo.

– Quando usar a definição de público alvo:

Se você é publicitário ou trabalha com marketing sabe que no plano macro de comunicação, a definição de público alvo é muito útil e deve sim existir. Inclusive, ela é uma ótima técnica de predefinição de personas.

Quando você faz uma campanha de lançamento de uma determinada marca, ou de expansão de uma empresa, também é interessante criar o direcionamento da campanha para o público alvo, uma vez que a ideia é atingir mais pessoas.

A questão é que o público alvo não foge do público objetivado pela empresa, mas deve ser usado em comunicações mais abertas.

– Quando usar uma campanha baseada em público alvo:

  • Lançamentos de novas marcas;
  • Lançamento de produtos;
  • Produtos muito abrangentes (de uso comum);
  • Aquisição de seguidores (inicialmente) para um perfil;
  • Campanhas temáticas (datas comemorativas, por exemplo);
  • Anúncios em veículos de grande audiência como TV, rádio e revistas de temas variados.

Lembre-se: não exclua o amiguinho Público Alvo. Ele é importante, útil e muito eficiente. Respeite-o e saiba usá-lo a seu favor.

 

Personas: como definir uma persona.

Agora vamos falar delas, as divas do momento, as tops e tão idolatradas personas.

Olha, eu acho que não existe nenhum negócio em que não dê para definir personas e trabalhar uma comunicação toda linda e maravilhosa voltada especificamente para alguém que está ali, esperando, implorando por ela.

Quando eu falo com uma persona é como se falasse com um amigo, uma amiga, alguém com quem eu me importo, quero bem. E isso é muito massa!

Mas vamos do início. Até um tempo atrás (e não muito) definir o público alvo bastava criar uma comunicação eficiente. Mas hoje, chamar atenção do cliente se tornou quase uma missão impossível, apesar d’as pessoas passarem cada vez mais tempo online, elas não estão muito dispostas a investir o tempo cada vez mais escasso em coisas que não são interessantes ao seu ver.

Agora pensa: você entra no Facebook procurando alguma coisa pra comprar? Fica ansioso, louco da vida, esperando começar aquele anúncio maroto no meio do videozinho de gatinhos felizes do YouTube? Claro que não! Você entra no Face pra curiar a vida dos outros, dar aquela stalkeada no crush, torcer contra o relacionamento novo do ex, acompanhar seus mentores e ídolos. No YouTube você só quer ser feliz com os gatinhos do vídeo, assistir umas dicas maravilhosas no canal da Agência Enso — onde você vai se inscrever, dar like e ligar o sininho agora mesmo.

Ai que está o cerne da questão: então como eu consigo impressionar esse cliente danadinho pra ele ficar caidinho por mim na internet? Você precisa conhecê-lo muito bem!

E pra isso nós temos a fofíssima técnica de criação de personas, ou buyer personas ou, ainda, avatares, como também são chamadas.

A principal diferença entre a persona e a definição de Público Alvo é que essa tem nome, profissão, endereço, personalidade, gostos e tudo mais.

Mas como assim, Josimar? Isso mesmo. Quando você cria as personas para o seu negócio, ou para o seu produto, você cria realmente um personagem fictício, mas baseado em fatos. =) Você tem que colocar o máximo de informações possível e, no final, tem que parecer que você escreveu sobre um velho conhecido, um amigo, tem que ser digno de virar fofoca.

Ok. Mas como eu consigo essas informações sobre meu cliente ou possível cliente?

Do jeito mais simples: perguntando. Não tem outro jeito, para conhecer seu público em nível de montar uma persona você precisa pesquisar, pesquisar e pesquisar. Por isso, perguntar é o caminho mais rápido.

– Você pode usar:

  • Suas redes sociais;
  • Sua lista de e-mails;
  • Seu contato pessoal com o cliente;
  • Ou até mesmo o telefone.

Usando qualquer um desses meios, você pode criar um formulário no Google Forms mesmo para descobrir mais sobre seus clientes e possíveis clientes.

Se você ainda não tem clientes, você pode pesquisar pessoas com perfis ideais para a compra do seu produto nas redes sociais e levantar informações sobre os lugares que elas frequentam, o que assistem, que marcas curtem, que tipo de conteúdo compartilham. É um trabalho de formiguinha, mas dá resultado.

Outra dica é criar um formulário e convidar pessoas para responder, em troca de um desconto nos produtos do seu futuro negócio ou algo do tipo. O importante é obter as informações.

Bom, o resultado do seu levantamento de dados deve ser de 3 a 5 personas. Lembre-se de criar as personas levando em consideração também os desejos, motivações, frustrações e objetivos delas, esses são os principais pontos para relacionar com o seu produto.

Se você fizer tudo direitinho, o resultado será um conteúdo atraente e bem direcionado, que despertará nos seus seguidores e futuros clientes interesse em acompanhar a sua empresa e nos produtos que ela oferece também.

Então, recapitulando: público alvo é uma segmentação mais genérica e abrangente. Persona é uma segmentação mais apurada e que leva em conta muito mais que dados demográficos, buscando entender quem realmente é o consumidor de um determinado produto ou serviço.

Espero que você tenha entendido tudo direitinho e, se não entendeu, já sabe, né? Deixa seu comentário por aqui, pelo face, pelo insta, pelo e-mail (contato), vem tomar um café comigo, manda sinal de fumaça, sei lá!

Obrigado pela paciência e pela atenção. Até a próxima!

Este post tem 6 comentários

Deixe uma resposta